quinta-feira, outubro 18, 2007

A Revolução por excelência

O termo Revolução, com inicial maiúscula, designa o processo revolucionário anticatólico que se desenvolveu a partir do fim da Idade Média.

Segue abaixo uma descrição sobre o alvo da Revolução:
"A Revolução tem derrubado muitas vezes autoridades legítimas, substituindo-as por outras sem qualquer título de legitimidade. Mas haveria engano em pensar que ela consiste apenas nisto. Seu objetivo principal não é a destruição destes ou daqueles direitos de pessoas ou famílias. Mais do que isto, ela quer destruir toda uma ordem de coisas legítima, e substituí-la por uma situação ilegítima. E “ordem de coisas” ainda não diz tudo. É uma visão do universo e um modo de ser do homem, que a Revolução pretende abolir, com o intuito de substituí-los por outros radicalmente contrários.
"(...)Com efeito, a ordem de coisas que vem sendo destruída é a Cristandade medieval. Ora, essa Cristandade não foi uma ordem qualquer, possível como seriam possíveis muitas outras ordens. Foi a realização, nas circunstâncias inerentes aos tempos e aos lugares, da única ordem verdadeira entre os homens, ou seja, a civilização cristã.
"(...) Assim, o que tem sido destruído, do século XV para cá, aquilo cuja destruição já está quase inteiramente consumada em nossos dias, é a disposição dos homens e das coisas segundo a doutrina da Igreja, Mestra da Revelação e da Lei Natural. Esta disposição é a ordem por excelência. O que se quer implantar é, per diametrum, o contrário disto. Portanto, a Revolução por excelência.
Como esse processo revolucionário tem como objetivo destruir a ordem por excelência:
"(...) se compreende que esta Revolução não é apenas uma revolução, mas é a Revolução."(Cfr. RCR, Parte I, Cap VII)
Trata-se da Revolução por excelência.

Nenhum comentário: