segunda-feira, novembro 26, 2007

Progressismo católico e protestantismo

Os católicos progressitas cada vez mais se alinham às idéias protestantes. Um exemplo disso é o editorial de maio de 2005 da revista "Mensageiro do Coração de Jesus", dos padres jesuítas, intitulado "Uma Igreja de participação e comunhão".

Nessa ocasião o papa Bento XVI tinha acabado de ser eleito e os jesuítas progressistas, através dessa revista, pediam ao papa algumas renovações internas na Igreja, como:
- Mais liberdade de opinião;
- Mais igualdade entre os clérigos e leigos;
- Fim do "absolutismo monárquico";
- Embora seja hierárquica, ser mais democrática.
Em todos os pontos uma coisa se nota: a sede insaciável revolucionária de liberalismo e igualitarismo.

Isso se expressa pelo desejo de diminuir cada vez mais o princípio de autoridade e de minguar o máximo possível as desigualdades existentes.

Essa tendência para uma liberdade mais ampla e uma igualdade mais radical se nota no desenvolvimento do protestantismo. A cada nova seita que surgia mais um passo se dava nessa direção.

O progressismo é uma forma de "protestantismo católico".

Um comentário:

Anônimo disse...

Viva o DR. Plinio